ELEVADOR




Elevador e mirante prometem mudar 'esquina da desordem' em Ipanema

Prédios vão servir ao metrô, como acesso para estação de Ipanema.Local era conhecido como depósito ilegal de mercadorias.

Patrícia Kappen Do G1 RJ

Espigão de 64 metros está sendo construído emesquina de Ipanema (Foto: Patrícia Kappen/G1)
Quem passa pela esquina das ruas Barão da Torre e Teixeira de Melo, em Ipanema, bairro da Zona Sul do Rio, vê um monte de tapumes no chão. Mas olhando para o alto, pode observar a construção do que será um dos mais altos prédios do bairro.

Ali é erguido um complexo que vai servir ao metrô do Rio. De lá, os dez mil moradores do Morro do Cantagalo poderão embarcar diretamente na estação da Praça General Osório e andar pelo subterrâneo até a plataforma do trem. A promessa da Secretaria de Transportes é de que a obra fique pronta no fim de junho.
Para ser possível toda a movimentação necessária para uma obra desse porte, o trânsito na Rua Barão da Torre foi interditado. Até a liberação da rua, não será possível atravessar a Rua Teixeira de Melo de carro. Motoristas que desejam ir em direção ao Leblon devem passar pelas avenidas Prudente de Moraes ou Delfim Moreira.
Dois espigões com vista para o marO prédio maior tem 64 metros. O mais baixo tem 28 metros, mas fica quase da mesma altura do primeiro, já que ele foi construído a partir de um nível mais alto, em cima do morro. Segundo a secretaria, serão quatro elevadores que podem atender ao mesmo tempo cem passageiros do metrô.
Quem precisa passar ali diariamente tem a esperança de que, com a instalação dos edifícios, aquela esquina, antes marcada pela desordem, seja revitalizada. O local funcionava como um grande depósito de mercadorias.
Moradores passaram por estágios de aprovação e de desaprovação desde que a obra começou. Segundo alguns funcionários desses edifícios, no começo da construção, o barulho era “enlouquecedor”. E, segundo eles, a obra chegou, em alguns períodos, a durar até as 21h, até que foi feita uma reclamação, e os trabalhos passaram a ser encerrados às 18h, de acordo com eles.
Projeção (à esquerda) mostra como ficarão os dois prédios instalados no bairro, um acesso à estação General Osório. Inauguração deve ser em junho. (Foto: Patrícia Kappen/G1)

Um comentário:

Anônimo disse...

Essa obra serve para uma coisa só: dar visibilidade aos projetos dos políticos e as pessoas do asfalto acham que fizeram uma coisa legal para a comunidade. Os moradores não precisam de uma obra gigantesca como essa, mas de saúde, educação e emprego. Mas ninguém ouviu eles.