COPA


Pub em Ipanema fica lotado para jogo da Inglaterra contra EUA
Elisa Magaldi
Devidamente decorado com bandeiras da Inglaterra, o pub Lord Jim recebe um bom público para assistir ao empate de 1 a 1 entre Inglaterra e Estados Unidos. Localizado em Ipanema, na Zona Sul do Rio, o bar atraiu torcedores de diversas idades, principalmente ingleses que trabalham na cidade. O resultado foi muito festejado pelos americanos.
Já os ingleses ficaram um pouco depepcionados.
Antes da partida, bastante animados como manda a tradição da terra da Rainha Elizabeth II, eles se vestiram à caráter com camisas e bandeiras do English Team. Os americanos também fizeram barulho durante o jogo no segundo andar do pub
Entre ingleses e americanos, dois brasileiros torciam para a Inglaterra. Fernando Biscaia e Daniela Privatti sempre admiraram a cultura do país dos Beatles. Eles se conheceram durante um "paredão" do "Big Brother Brasil", da "Rede Globo" há sete anos e são amigos até hoje. "Sempre tive muita identificação com a Inglaterra, principalmente com as bandas ingleses. A minha preferida é o Oasis". Até 1994, Fernando dividia seu coração entre o Brasil e a Inglaterra, mas depois começou a torcer exclusivamente pelo English Team.~
O fanatismo é tão grande que seu sonho é morar em Londres. Já Daniela contou que sempre gostou da Inglaterra. "Tinha o Rod Stewart como ídolo". A única divergência entre os dois é em relação ao time de futebol que torcem. Nem Flamengo e Vasco ou São Paulo e Corinthians. Enquanto Fernando torce para o Manchester United, Daniela é Liverpool. Há quase trinta anos, morando no Brasil, John Harding se casou com uma brasileira. Ele levou seu filho ao pub para assistir ao jogo.
"Amo o futebol e passei a gostar mais ainda quando comecei a morar no Brasil. Acho que a Inglaterra tem um bom time, mas não passa da semifinal" Além da Inglaterra, ele está torcendo muito para o Brasil, mas aposta na Holanda ou na Argentina para ganhar a Copa. O inglês James Islatt está no Rio há dois meses e deve permanecer na cidade por mais três. "Gosto muito do Brasil e da sua cultura.
Fiquei muito triste com a ausência do David Beckham. Ele é um grande ídolo para nós, mas ele está lá dando um apoio ao time. Acho que o Rooney vai ser o craque da Copa", palpitou. Do lado americano, Robert Werner disse que gosta de futebol apesar do esporte bretão não ser o favorito pela maioria dos seus conterrâneos.
"Adoro futebol. Inglaterra e Estados Unidos é sempre um grande jogo". Perguntado se assistir ao jogo na terra dos "inimigos", num pub inglês, ele brincou: "Eu não gosto muito deles, mas a gente tem que aturar. Eles vão sair chorando".
Jim Katter é o caso do estrangeiro que chegou ao Brasil para passar por um período curto, mas acabou ficando. O americano está há 35 anos no país. "Apesar dos problemas, como segurança, gosto muito. Sobre a seleção americana, ele diz que sua equipe vem melhorando nas últimas copas . Um dia chega lá.
Quem sabe na Copa do Brasil eu vejo os Estados Unidos sendo campeões. Mas quando o Brasil e os EUA jogam, eu torço para o Brasil.
Passei mais da metade da minha vida aqui", finalizou.

Nenhum comentário: