PSI - INFORMA

Rio, 06/01/2011

Prezados srs.,

Em referência à matéria publicada no O Globo de 05/01/2011 sob o título, “Blocos vão a Cabral contra as exigências da PM”, o Projeto de Segurança de Ipanema, movimento voluntário e apartidário da sociedade, e o Quadrilátero do Charme de Ipanema, associação que congrega mais de setenta comerciantes do bairro, vem a público para dar seu inteiro apoio à atitude do cel. Garcia comandante do 23º. BPM.

Entendemos o seguinte:

1) É um abuso, que os presidentes as associações de blocos Folia Carioca e Sebastiana entendam que regras estabelecidas pela SESP e que visam dar a maior segurança possível à população, possam ser flexibilizadas em nome do interesse de seus respectivos grupos e em detrimento dos da população.

2) Esperamos que o governador Sergio Cabral não desautorize o seu secretário de segurança e o comandante do 23º. BPM.

3) A afirmação de que o carnaval de rua traz divisas para a cidade é relativa. Em Ipanema, a nossa experiência com 36 blocos no último carnaval foram: comércio, restaurantes, serviços e teatros fechados durante uma semana, acarretando enorme prejuízos para estes empresários exatamente no momento em que a cidade se encontra lotada de turistas.

4) Dizer que o carnaval de rua é cultura também é uma afirmação que não se sustenta. Vejamos:

a) Ser cultura quer dizer que tudo pode?

b) Que cultura popular é esta que só sobrevive com os generosos subsídios e patrocínios que recebe?

c) Como fica a venda indiscriminada de bebidas que nos deixa o espetáculo deprimente de crianças e adolescentes bêbados nas nossas ruas?

d) E a distribuição de propaganda das marcas de bebida patrocinadoras para crianças de até 2 anos, levando as à indução de que o álcool é lúdico e que não oferece maior perigo para elas?

5) Qual é o objetivo real das patrocinadoras? Será realmente o apoio à cultura popular? No nosso entender elas estão atrás da imensa mídia em escala mundial que os grandes eventos na cidade proporcionam. Esta mídia não tem preço e só grandes eventos é que vão gera la. Não importa os incômodos, tais como sujeira, barulho, impedimento do direito de ir e vir e a insegurança, assim como os prejuízos sofridos pela população. Que crianças se viciem em álcool prematuramente, ou que outras se acostumem desde a tenra idade com a idéia de que a bebida é benéfica e lúdica. O objetivo é a repercussão mundial do evento exibindo as marcas patrocinadoras pelos quatro cantos do mundo.

6) As normas para a realização de eventos existem e devem ser cumpridas, por todos, aliás, como todas as normatizações vigentes. Precisamos entender de uma vez por todas que esta flexibilidade diante de normas e leis foi o que levou a nossa cidade ao descalabro em que nos encontramos hoje. Estamos pagando um preço muito alto e com muito sacrifício, para conseguirmos ordenar de novo o nosso espaço público.

Ignez Barretto – Projeto de Segurança de Ipanema – 93984020

Bruno Pereira – Quadrilátero do Charme de Ipanema - 99145092




Nenhum comentário: