PÉ DE MARACUJÁ


Pé de maracujá avança pela fiação elétrica em Ipanema

Planta pode causar apagão em residências próximas, diz especialista. Comlurb fará remoção




Carregado de frutos, pé de maracujá cresce sobre a rede elétrica em esquina de Ipanema
Foto: Foto da leitora Maria Luisa Macedo Quintella / Eu-Repórter
Carregado de frutos, pé de maracujá cresce sobre a rede elétrica em esquina de IpanemaFOTO DA LEITORA MARIA LUISA MACEDO QUINTELLA / EU-REPÓRTER
RIO - Um pé de maracujá pode provocar um apagão? Em Ipanema, sim. Como mostra a leitora Maria Luisa Macedo Quintella, a planta se alastrou pela fiação elétrica que cruza a esquina das ruas Visconde de Pirajá e Maria Quitéria, entre as mais movimentadas do bairro da Zona Sul. Segundo Luiz Sebastião Costa, engenheiro elétrico da Uerj, a planta pode provocar curto-circuito na rede em um dia de chuva ou ventos fortes, o que deixaria as residências do entorno sem luz.
- É a natureza mostrando a sua força. Um belo pé de frutas, carregadinho, surgiu no meio dos prédios. Mas também temos de ter bom senso. Se tem alguma parte que representa risco para a rede, tem que ser podada - pondera a leitora.
Segundo o professor Costa, do Departamento de Engenharia Elétrica da Uerj, a poda precisa mesmo ser feita o mais rapidamente possível. Ele afirma que as plantas facilitam a possibilidade de queda do circuito, em especial sob condições adversas, como em dias com muito vento e chuva, o que poderia causar falta de energia nas casas do entorno.
A pedido do Eu-repórter, a Comlurb fez uma vistoria na rede nesta terça-feira (26) e constatou que a poda do pé de maracujá é realmente necessária. Os técnicos da companhia ressaltaram, porém, que o procedimento deve ser feito com muita cautela para evitar interrupção do fornecimento de energia, já que a planta se alastrou pelos fios da rede domiciliar.
O trabalho ainda não tem data para ser realizado, mas a Comlurb adiantou que terá de ser feito em um fim de semana, já que a esquina é muito movimentada. O objeitvo é minimizar o incômodos para motoristas, pedestres e moradores. A operação contará com a ajuda da CET-Rio para fazer o controle do tráfego.
Em março, uma reportagem mostrou o péssimo estado de conservação de diversos postes pela cidade. Em um deles, na Rua Barão de Itapagipe, no Rio Comprido, uma planta envolvia a fiação e parte do poste. O problema foi solucionado cinco dias depois da publicação da reportagem.



Um comentário:

Eduardo disse...

Ipanema, Copacabana, Leblon, Flamengo, etc, etc.

Quintas e quintais...

uma pequena expansão agriculturável das portarias.