CÓDIGOS PARA CELULAR


25/01/2013 - 22h18

Rio instala códigos para celular em calçada da praia do Arpoador

PUBLICIDADE
DO RIO
Folha VerãoOs turistas e cariocas ganharam uma nova maneira de saber mais sobre alguns pontos da cidade do Rio. Foi inaugurado hoje na praia do Arpoador, no Rio, o primeiro QR Code (barras para serem lidas por smartphones) confeccionado em pedras portuguesas no Brasil.
A iniciativa, chamada de QRio, permitirá que qualquer pessoa, ao colocar um celular smartphone, iPhone ou tablet sobre as barras de código instaladas em alguns pontos turísticos, receba informações importantes sobre o lugar. No momento em que o celular lê o código, o aplicativo o direciona para a página de informações sobre o local.
Danilo Verpa/Folhapress
O QR Code da praia do Arpoador foi confeccionado em pedras portuguesas para passar informações
O QR Code da praia do Arpoador foi confeccionado em pedras portuguesas para passar informações
Para isso, é necessário que a pessoa possua o aplicativo no celular que faz o reconhecimento do QR Code, baixado gratuitamente pela internet. A confecção dos códigos em pisos de pedras portuguesas e manutenção ficará a cargo dos calceteiros da prefeitura do Rio.
O projeto será instalado em 30 pontos turísticos e monumentos da cidade até o fim do ano.
Até março, Pedra do Leme, praia de São Conrado (próximo ao clube do vôo livre), mirante do Leblon e praia do Pepê, na Barra da Tijuca, também terão os mosaicos.

CHEGANDO !!!!!!!!!


Blocos provocam interdições em ruas do Rio neste sábado

Ipanema, Lagoa e Laranjeiras são os bairros mais afetados.
Ensaios técnicos nas ruas também mudam o trânsito no Andaraí e Méier.

Do G1 Rio
Comente agora
banda de ipanema24 (Foto: Alexandre Durão/ G1)Desfile da Banda de Ipanema provoca série de interdições nas ruas do bairro (Foto: Alexandre Durão/ G1)
Os desfiles de quase 20 blocos neste sábado (26) vão provocar mudanças e interdições no trânsito do Rio de Janeiro. A Zona Sul é a região mais afetada por conta do volume de foliões que acompanha os tradicionais Spanta Neném (Lagoa) e Banda de Ipanema, além de ter dois blocos no mesmo horário e num só bairro, em Laranjeiras.

Em Laranjeiras, a folia em dose dupla será feita por GB Bloco e o
 Imprensa Que Eu Gamo. A General Glicério e a Cristóvão Barcellos estarão interditadas de 15h às 19h. No mesmo horário, a Gago Coutinho ficará totalmente fechada. Já o Largo do Machado, junto à Igreja, e a rua das Laranjeiras terão uma pista fechada.
Na Lagoa, apenas uma faixa de rolamento será interditada por conta do Spanta Neném, que desfila na ciclovia, enquanto em Ipanema a Banda provoca mudanças mais drásticas. O percurso que vai da rua Gomes Carneiro até a Praça General Osório, das 17h30 às 21h, vai impedir o tráfego nas duas ruas e também na Visconde de Pirajá, Vieira Souto, Prudente Morais e Jangadeiros.
Ainda na Zona Sul, a rua Jardim Botânico ficará fechada nos dois sentidos entre as ruas Pacheco Leão e a Praça Santos Dumont, das 08h às 14h,  por conta do bloco Me Esquece. Em Botafogo, o Calma, Calma Sua Piranha vai fechar a Rua Visconde de Caravelas de 9h às 16h, entre a Real Grandeza e a Capitão Salomão.
No Centro a movimentação de blocos também será intensa com o Cordão da Bola Preta, que vai fechar a Sacadura Cabral de 16h às 22h, e do Folia Com Cristo que, de 15h às 22h, vai interromper trechos da avenida Presidente Vargas, Buenos Aires, Nilo Peçanha, Evaristo de Veiga e Treze de Maio.

MENTIRAS


Canteiros centrais de Ipanema ainda não receberam proteção

  • Riotur garante que jardins serão cercados antes de desfile deste sábado

ELENILCE BOTTARI(EMAIL·FACEBOOK·TWITTER)
RAFAELLA JAVOSKI (


Desprotegido. Um dos canteiros da Avenida Vieira Souto que acabaram de ser recuperados
Foto: Domingos Peixoto / O Globo
Desprotegido. Um dos canteiros da Avenida Vieira Souto que acabaram de ser recuperados Domingos Peixoto / O Globo
RIO — Para eles, o rufar dos tambores parece mais anunciar a chegada do batalhão de fuzilamento do que a simples passagem de um bloco. São os canteiros da orla de Ipanema, que, durante todo o ano, recebem cuidados especiais de moradores e servidores municipais. Nas três semanas de festas carnavalescas, no entanto, são pisoteados e, em muitos casos, transformados em lixeira e banheiro por milhares de foliões.
Para tentar evitar danos, a prefeitura cercou os jardins junto aos prédios da Avenida Vieira Souto. Já os 20 canteiros centrais — que acabaram de ser recuperados pelo município, em parceria com a iniciativa privada — não receberam qualquer proteção até agora. A Riotur garante que eles também serão cercados, até a hora do desfile da Banda de Ipanema, que começa às 17h30m deste sábado. Até o fim da tarde de sexta-feira, no entanto, nada havia sido feito. No caso do Leblon, a promessa é que os canteiros das ruas internas sejam protegidos até o próximo dia 1º.
A recuperação dos canteiros de Ipanema foi feita pela prefeitura em conjunto com a concessionária Serttel/Samba e parceria do Itaú Unibanco. Além de projetos paisagísticos terem sido desenvolvidos, os canteiros receberam palmeiras, gerânios vermelhos, gazânias prateadas, grama e dianelas.
Para o presidente da Associação Comercial de Ipanema e Leblon, Jaime Monjardim, com ou sem as cercas, o destino dos canteiros já está selado:
— No ano passado, após a passagem dos blocos, 80% dos canteiros de vegetação de restinga (na praia) ficaram destruídos. Foi feito um grande esforço para recuperar essa vegetação. E agora a prefeitura exorbita ao permitir o desfile de 40 blocos (na verdade são 15, segundo a lista da Riotur) no bairro. Mesmo com as cercas, que são de plástico, não há como conter essa multidão.
Desfiles vão mudar trânsito
Um total de 820 guardas, entre agentes de controle urbano e de trânsito, vai atuar nos 36 desfiles que acontecem neste fim de semana na cidade. Hoje à tarde, saem em Laranjeiras o Imprensa Que Eu Gamo e o GB Bloco, das 15h às 19h. Nesse período, haverá diversas alterações no tráfego.
Em Ipanema, onde a Banda de Ipanema inicia sua concentração às 16h na Gomes Carneiro, também haverá mudanças. O bloco começa a desfilar às 17h30m pela orla, passando pelas ruas Joana Angélica, Visconde de Pirajá e terminando na Praça General Osório. Desde o primeiro minuto de hoje, está proibido o estacionamento na Gomes Carneiro (entre a Prudente de Morais e a Vieira Souto), na Vieira Souto (ambas as pistas), na Joana Angélica, na Visconde de Pirajá e na General Osório.
Amanhã, o Me Esquece se concentra às 8h e desfila das 10h às 14h na Rua Jardim Botânico, da Pacheco Leão até a Praça Santos Dumont. A Jardim Botânico será interditada nesse trecho.




DESTRUIÇÃO CHEGANDO !


Canteiros centrais de Ipanema ainda não receberam proteção

Elenilce Bottari,Rafaella Javoski - O Globo
Tamanho do texto A A A
RIO — Para eles, o rufar dos tambores parece mais anunciar a chegada do batalhão de fuzilamento do que a simples passagem de um bloco. São os canteiros da orla de Ipanema, que, durante todo o ano, recebem cuidados especiais de moradores e servidores municipais. Nas três semanas de festas carnavalescas, no entanto, são pisoteados e, em muitos casos, transformados em lixeira e banheiro por milhares de foliões.
Para tentar evitar danos, a prefeitura cercou os jardins junto aos prédios da Avenida Vieira Souto. Já os 20 canteiros centrais — que acabaram de ser recuperados pelo município, em parceria com a iniciativa privada — não receberam qualquer proteção até agora. A Riotur garante que eles também serão cercados, até a hora do desfile da Banda de Ipanema, que começa às 17h30m de hoje. Até o fim da tarde de ontem, no entanto, nada havia sido feito. No caso do Leblon, a promessa é que os canteiros das ruas internas sejam protegidos até o próximo dia 1º.
A recuperação dos canteiros de Ipanema foi feita pela prefeitura em conjunto com a concessionária Serttel/Samba e parceria do Itaú Unibanco. Além de projetos paisagísticos terem sido desenvolvidos, os canteiros receberam palmeiras, gerânios vermelhos, gazânias prateadas, grama e dianelas.
Para o presidente da Associação Comercial de Ipanema e Leblon, Jaime Monjardim, com ou sem as cercas, o destino dos canteiros já está selado:
— No ano passado, após a passagem dos blocos, 80% dos canteiros de vegetação de restinga (na praia) ficaram destruídos. Foi feito um grande esforço para recuperar essa vegetação. E agora a prefeitura exorbita ao permitir o desfile de 40 blocos (na verdade são 15, segundo a lista da Riotur) no bairro. Mesmo com as cercas, que são de plástico, não há como conter essa multidão.
Desfiles vão mudar trânsito
Um total de 820 guardas, entre agentes de controle urbano e de trânsito, vai atuar nos 36 desfiles que acontecem neste fim de semana na cidade. Hoje à tarde, saem em Laranjeiras o Imprensa Que Eu Gamo e o GB Bloco, das 15h às 19h. Nesse período, haverá diversas alterações no tráfego.
Em Ipanema, onde a Banda de Ipanema inicia sua concentração às 16h na Gomes Carneiro, também haverá mudanças. O bloco começa a desfilar às 17h30m pela orla, passando pelas ruas Joana Angélica, Visconde de Pirajá e terminando na Praça General Osório. Desde o primeiro minuto de hoje, está proibido o estacionamento na Gomes Carneiro (entre a Prudente de Morais e a Vieira Souto), na Vieira Souto (ambas as pistas), na Joana Angélica, na Visconde de Pirajá e na General Osório.
Amanhã, o Me Esquece se concentra às 8h e desfila das 10h às 14h na Rua Jardim Botânico, da Pacheco Leão até a Praça Santos Dumont. A Jardim Botânico será interditada nesse trecho.

QUE NOJO !


Restaurante de Ipanema é condenado a pagar R$ 12 mil por barata em feijão

Estabelecimento diz que agiu conforme manda o Código de Defesa do Consumidor
Do R7 | 25/01/2013 às 17h58
A Justiça do Rio condenou, nesta sexta-feira (25), um restaurante de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro, a pagar indenização de R$ 12 mil a uma cliente que encontrou uma barata no prato de feijão.
Segundo o TJ, um funcionário do restaurante ofereceu a devolução do dinheiro pago pela comida, após a mulher reclamar. Ela, no entanto, não aceitou e foi à Justiça.
O responsável pelo estabelecimento disse que agiu conforme determina o Código de Defesa do Consumidor, pois, “ao constatar que a comida estava imprópria, ofereceu ao cliente a restituição da quantia paga”.
A Justiça, porém, entendeu que “situações como estas causam transtornos além do razoável ao indivíduo”.
Em sua conclusão, o desembargador Luciano Sabóia Rinaldi de Carvalho, da 7ª Câmara Cível do TJ-RJ, afirmou ainda que “há de se considerar a sensação de náusea, asco e repugnância que acomete aquele que descobre ter ingerido alimento contaminado por um inseto morto, sobretudo uma barata”.

METRÔ & PRAÇA


Após críticas, estado muda projeto do metrô em Ipanema

  • As entradas foram mantidas fora dos limites das grades da Praça Nossa Senhora da Paz, para alterar circulação de usuários
  • Apesar da mudança, polêmica continua
ISABELA BASTOS(EMAIL·FACEBOOK·TWITTER)
LUIZ ERNESTO MAGALHÃES (EMAIL·FACEBOOK·TWITTER)


Outro rumo. O novo projeto do estado para a estação de metrô na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema: os acessos ficarão mais afastados dos portões principais. Além disso, o lago e uma figueira antiga serão preservados
Foto: Divulgação
Outro rumo. O novo projeto do estado para a estação de metrô na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema: os acessos ficarão mais afastados dos portões principais. Além disso, o lago e uma figueira antiga serão preservados Divulgação
RIO — Cercado de polêmica, o projeto de construção da estação de metrô da Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, sofreu modificações que, na versão final, vão alterar a circulação de usuários no bairro. As entradas foram mantidas fora dos limites das grades. Mas os dois acessos, que inicialmente ficariam ao lado dos portões das ruas Barão da Torre e Visconde de Pirajá, foram deslocados. Com as mudanças, eles ficarão nas esquinas da Visconde de Pirajá com as ruas Maria Quitéria e Joana Angélica. As alterações também melhoraram o destino da árvore mais antiga da praça: uma figueira de 12 metros de altura e quase um século de idade, que estava condenada pelas obras — pois não poderia ser replantada — não será mais removida.

A necessidade de retirar outras árvores da praça, porém, continua. Mas, em lugar de 113 espécimes do projeto original, agora serão removidas 77, que serão replantadas no mesmo local após as obras. O pequeno lago da praça também será poupado.
Apesar da mudança, polêmica continua
As alterações no projeto, no entanto, não foram suficientes para acabar com a polêmica no bairro. A presidente da Associação de Moradores de Ipanema, Maria Amélia Fernandes Loureiro, que já era favorável à versão anterior do projeto, elogiou as mudanças. Mas a coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema, Ignez Barreto, voltou a defender ontem que as estações sejam retiradas de vez dos limites da Praça Nossa Senhora da Paz.
— A nova proposta é melhor, porque as entradas ficarão mais afastadas dos portões da praça. Isso ajudará na organização da circulação de pedestres no entorno. A chegada dos usuários do metrô será mais dispersa, facilitando o deslocamento daqueles que querem aproveitar a Praça Nossa Senhora da Paz como área de lazer — disse Maria Amélia.
Ela acrescentou, no entanto, que a entidade continuará a brigar para que, no futuro, o governo do estado invista na ampliação de outras ligações de metrô entre Barra e Zona Sul. No projeto da Linha 4 (Jardim Oceânico-General Osório), a estação Gávea foi projetada em dois níveis, para permitir a implantação de linhas independentes em direção ao Centro, passando por Jardim Botânico e Humaitá. Mas ainda não há data para saírem do papel.
Ignez Barreto, por sua vez, reclama que a principal demanda da entidade não foi atendida: transferir os acessos para o outro lado da Rua Visconde de Pirajá.
— A expectativa é que 47 mil pessoas usem a estação diariamente. Mesmo com as mudanças, os acessos do metrô ficarão próximos a duas entradas secundárias da praça. Ou seja, muita gente continuará a usar a praça apenas de passagem, interferindo na qualidade da Nossa Senhora da Paz como área de lazer — disse Ignez.
A coordenadora do Projeto Segurança de Ipanema lembrou ainda que um grupo de moradores entrou na Justiça contra o método adotado pelo estado para construir a estação. Eles são contra também a remoção de árvores, mesmo que de forma provisória. No fim do ano passado, chegaram a conseguir uma liminar para paralisar as obras, mas o governo do estado recorreu à presidência do Tribunal de Justiça (TJ). O estado afirmou ontem que a liminar foi parcialmente revogada e que o TJ autorizou as obras, desde que elas não impeçam uma perícia judicial na área.
O subsecretário da Casa Civil, Rodrigo Vieira, explicou que a concepção inicial da entrada das estações tomava como base uma proposta conceitual. Ao detalhar os projetos, o Consórcio Rio-Barra reorganizou as áreas técnicas da estação. Isso permitiu reduzir em 860 metros quadrados (15% do total) a área a ser escavada na praça.
Rodrigo disse que o prazo para a conclusão das seis novas estações do metrô (Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Praça Nossa Senhora da Paz e Jardim de Alah) está mantido para dezembro de 2015. Nos primeiros meses de 2016, os trens começam a operar em fase experimental. O compromisso de iniciar a operação comercial em meados do mesmo ano, antes dos Jogos Olímpicos (que serão em agosto), não foi alterado.
No caso da estação da Gávea, o projeto entra numa nova fase a partir de segunda-feira. Técnicos do consórcio começam a vistoriar os imóveis no entorno da futura estação. Entre os prédios que serão inspecionados, está o conjunto Marquês de São Vicente (Minhocão).
Os primeiros a serem visitados são os da Travessa Madre Jacinta. A expectativa é que as escavações não causem danos ao entorno, mas as inspeções permitirão comparar as condições dos móveis antes e depois das obras do metrô.
As intervenções no bairro terão dois canteiros. O primeiro, para abrir uma nova frente de escavações dos túneis que ligarão a Zona Sul ao Jardim Oceânico, fica no campo de futebol da PUC e já começou a ser instalado. O segundo, para construção da estação no estacionamento da PUC, só será implantado no segundo semestre deste ano. Antes disso, o consórcio construirá uma nova sede para a incubadora de empresas da PUC, já que as instalações atuais terão que ser demolidas por causa das obras.

REUNIÃO



            A próxima reunião do Projeto de Segurança de Ipanema será, SEGUNDA FEIRA,  dia 28/01 às 18hs. no Colégio Notre Dame .

           
PAUTA

ação cautelar de produção antecipada de provas

coleta de recursos


ANDAMENTO DO PROCESSO – PERSPECTIVAS

Ocupação irregular da praia – primeira reunião /andamento  - Ignez

ACESSE O NOSSO BLOG – WWW.PSIPANEMA.BLOGSPOT.COM

PROJETODEIPANEMA@gmail.COM.

ENTRE NO FACEBOOK  E INDIQUE NOVOS AMIGOS -  PSI IPANEMA

Twitter: @psi_seguipanema

HTTP//WWW.flickr.com/photos/psi ipanema

DEDIC – 14ª. DP – 23322866/ 23322880

DISQUE DENÚNCIA – 22531177


MODA EM IPANEMA


Zumba fitness leva salsa e merengue à Ipanema

  • Mistura de dança e malhação invade as areias neste verão
Tópicos da matéria:

SIMONE CANDIDA (EMAIL

Ritmo latino. A zumba, que faz sucesso nas academias, será levada à Ipanema
Foto: Leo Martins / O Globo
Ritmo latino. A zumba, que faz sucesso nas academias, será levada à Ipanema Leo Martins / O Globo
RIO — Ela chegou no verão passado, foi arrebatando fãs nas mais badaladas academias da cidade e continua com tudo em cima. A Zumba Fitness, aula que mistura passos de dança com exercícios físicos, ainda atrai cariocas que desejam perder peso mas não abrem mão da diversão enquanto suam a camisa. Nos dias 2 e 3 de fevereiro, dois aulões de Zumba prometem voltar a reunir adeptos no espaço Verão Rio, na tenda principal de Ipanema, na altura do Country Club. Para participar, basta se inscrever no local. O agito faz parte da programação da edição 2013 do projeto Verão Rio, uma realização do GLOBO em parceria com a Orla Rio e patrocínio de Skol, O Boticário, Mormaii Relógios, prefeitura e Riotur, com apoio da Americanas.com.
Com passos fáceis (basta imitar os movimentos do professor) e música animada, a Zumba foi criada por um colombiano com jeitinho brasileiro, Beto Perez, na década de 1990, em sua cidade natal, Cali. Segundo contam, durante uma aula de aeróbica, Beto percebeu que havia esquecido os CDs que costumava usar como trilha sonora. Decidiu improvisar e usou as fitas de música latina que carregava na mochila. Nascia ali um programa de exercícios ao ritmo de salsa e merengue, com muitos passos e intensa queima de calorias. A marca Zumba Fitness foi registrada em 2001, em Miami, quando Beto se associou aos empresários Alberto Perlman e Alberto Aghion. No Brasil, ela chegou há cerca de dois anos.
Mil calorias em uma hora
As aulas duram entre 40 e 50 minutos e combinam dança e fitness. Os professores de educação física garantem que os que fazem toda a aula com “garra” (ou seja, repetem os passos dando tudo de si, sem moleza) pode gastar até mil calorias por hora. Mais do que numa aula de corrida indoor (running class). Para a professora de educação física Luciana Nogueira, que dá aulas de Zumba há um ano, o grande atrativo é que os alunos se exercitam sem perceber:
— É um exercício físico disfarçado de dança! Além de ter um grande gasto calórico, a Zumba tem movimentos muito fáceis de aprender, e não é necessário decorar nenhuma coreografia. O próprio aluno regula a intensidade. Por isso, as aulas não têm restrição de idade nem exigem condicionamento. É muito divertido — explica Luciana Nogueira.
Durante as aulas, a trilha sonora remete aos ritmos musicais de todo o mundo. O objetivo, explicam os instrutores, é perder calorias num clima de festa com hip hop, flamenco, dança do ventre, dança africana, além da salsa e do merengue. O professor Ari Guimas, que há dois anos dá aulas de Zumba, abusa do Axé:
— Nas aulas, 70% das músicas são do programa, e os outros 30% ficam a critério do professor — explica Ari, que desde que começou a dar aulas de Zumba emagreceu — Como o professor faz aula junto, e eu dou oito aulas por dia, estou até sumindo — brinca.
Mas a aula não é brincadeira. Durante os exercícios, explica Ari Guimas, a turma também malha e exercita o coração:
— A base da aula é o trabalho cardiovascular. Além disso, ela modela o corpo. Dançando, a pessoa faz exercícios para as pernas, como agachamentos, e trabalha abdome, braços e glúteos — garante o professor.
As aulas deste final de semana serão comandadas pelo professor Eduardo Horta, que preparou uma seleção de músicas animadas para levantar o pessoal das cadeiras de praia:
— Serão 53 minutos de aula. Serão músicas divertidas com foco no merengue, cumbia e reggaeton — diz Eduardo, acrescentando que a aula tem todos os ingredientes para aliviar o estresse.



ORLA


  •  

Homem é preso acusado de roubar turista argentino em Ipanema

Rio -  Policiais do 23º BPM (Leblon) prenderam no início da madrugada desta sexta-feira, um homem acusado de participar do roubo a um turista argentino utilizando uma faca, na orla da Praia de Ipanema, Zona Sul do Rio. De acordo com a PM, a vítima contou que foi abordada por Flávio Elias, de 33 anos, e outros três homens, na altura do Posto 9. O estrangeiro reagiu e entrou em luta corporal com o grupo, mas acabou tendo a carteira e um boné roubados. O grupo fugiu.
Acionados, os PMs conseguiram prender Flávio na Praça Nossa Senhora da Paz, também em Ipanema. Morador do bairro do Engenho Novo, na Zona Norte, ele acabou se ferindo com a própria faca durante a luta com o turista. Ele foi medicado no Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, e levado para a Delegacia Especial de Atendimento ao Turismo (Deat), no mesmo bairro, onde a ocorrência foi registrado. O acusado foi reconhecido pela vítima.

QUEM AMA CUIDA



DESMANCHE DO MONUMENTO DA PRAÇA DA PAZ









DESTRUIÇÃO DA NOSSA PRAÇA

Sequência de fotos mostra o desmanche de monumento em IpanemaLeitor registrou o trabalho dos operários ao longo de dois meses na Praça Nossa Senhora da Paz. Intervenção foi causada pelas obras da Linha 4 do metrô

Monumento da Praça Nossa Senhora da Paz foi erguido em 1931, com estátua em homenagem ao senador Pinheiro Machado, um dos ícones do republicanismo no país. Intervenção foi causada pelas obras para a criação da Linha 4 do Metrô
Foto: Foto do leitor José Conde / Eu-Repórter

AULA DE SURF NO ARPOADOR


FIM DE SEMANA



Fim de semana terá Banda de Ipanema e muito mais

23 de janeiro de 2013  · por Rafael Lemos   · 
Banda de Ipanema faz seu primeiro desfile no sábado, dia 26 de janeiro Foto: Raphael Braga|Riotur
Banda de Ipanema faz seu primeiro desfile no sábado, dia 26 de janeiro Foto: Raphael Braga|Riotur
Em contagem regressiva para o Carnaval 2013, os blocos já ocupam as ruas da cidade. Com público estimado em 80 mil pessoas, a Banda de Ipanema é a grande atração deste fim de semana. O primeiro desfile do bloco acontece neste sábado, dia 26 de janeiro, a partir das 17h30. Esse ano, a Banda de Ipanema homenageia Oscar Niemeyer, o Jongo da Serrinha e os centenários de nascimento de Vinícius de Moraes, Jamelão, Paulo Tapajós, Wilson Batista, Ciro Monteiro e Rubem Braga.
Perto dali, um pouco mais cedo, o badalado Spanta Neném promete reunir pelo menos 8 mil pessoas no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas. Em 2013, o bloco completa 10 anos como um dos mais prestigiados da Zona Sul.
Também no sábado, cerca de 10 mil pessoas vão se esbaldar no bloco dos jornalistas, o Imprensa Que eu Gamo. O início do desfile está marcado para as 15h, no Mercadinho São José, em Laranjeiras.
Já no domingo, o bloco Me Esquece vai arrastar 15 mil pessoas pelas ruas do Jardim Botânico. O cortejo sai segue pela Rua Jardim Botânico, saindo da Pacheco Leão até a Praça Santos Dumont.
SERVIÇO
Spanta Neném
Sábado, 26 de janeiro de 2013, às 13h
Lagoa
Concentração: Avenida Epitácio Pessoa, 1796
Trajeto: Ciclovia próximo ao Corte do Cantagalo até a ciclovia do Clube Caiçaras.
Banda de Ipanema
Sábado, dia 26 de janeiro de 2013, às 17:30h
Ipanema
Concentração: Praça General Osório
Trajeto: Rua Gomes Carneiro, Avenida Vieira Souto, Rua Joana Angélica, Visconde de Pirajá até a Praça General Osório, onde dispersa.
Imprensa Que Eu Gamo
Sábado, dia 26 de janeiro 2013, às 15h
Laranjeiras
Concentração: Rua Gago Coutinho 75
Trajeto: Rua Gago Coutinho, Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, retornando a esquina da Gago Coutinho, onde dispersa.
Me Esquece
Domingo, dia 27 de janeiro de 2013, às 10h
Jardim Botânico
Concentração: Rua Jardim Botânico, esquina com Pacheco Leão
Trajeto: Seguindo pela Rua Jardim Botânico até a Praça Santos Dumont

PRAIA DE IPANEMA










CARNAVAL


Blocos: canteiros centrais de Ipanema também serão protegidos

  • Objetivo é impedir destruição por foliões; na praia, áreas de restinga serão cercadas
Thiago Mattos (Email · Facebook · Twitter)
Publicado:
Preocupação. Moradores pedem proteção ao recém plantado jardim no canteiro central da Avenida Vieira Souto Foto: Domingos Peixoto / O Globo
Preocupação. Moradores pedem proteção ao recém plantado jardim no canteiro central da Avenida Vieira Souto Domingos Peixoto / O Globo
RIO — Após reclamações de moradores, a prefeitura resolveu cercar também os jardins dos canteiros centrais da Avenida Vieira Souto, em Ipanema, que acabaram de ser replantados. O objetivo é protegê-los da depredação durante a passagem dos blocos de carnaval, cujos desfiles começam a se intensificar no próximo fim de semana. Na Zona Sul, vão animar as ruas este ano 148 grupos. Somente em Ipanema, estão previstos 17 desfiles, e alguns dos blocos reúnem até cem mil pessoas, como é o caso do Simpatia É Quase Amor. A Dream Factory, contratada pela Riotur para organizar a infraestrutura do carnaval de rua, vai proteger ainda os jardins dos prédios da orla de Ipanema e a área de restinga da praia, como no ano passado. Alguns desses pontos já começaram a ser cercados.
Em volta dos jardins, segundo informações da Riotur, serão colocadas telas de proteção de polipropileno, as mesmas de cor laranja que já cercam várias obras na cidade. A fragilidade do material é alvo de críticas de alguns moradores do bairro. Para Carlos Monjardim, presidente da Associação de Moradores de Ipanema, esse tipo de proteção é um gasto inútil.
— Não adianta. Chega o carnaval e estragam tudo — reclamou.
Vegetação de restinga teve de ser replantada
Monjardim contou que em 2012 vários pontos de vegetação de restinga da praia precisaram ser replantados, assim como alguns canteiros de prédios. Ele defendeu a redução do número de blocos autorizados a desfilar no bairro.
— Mais importante do que o cercamento é a prefeitura ter o controle da quantidade exorbitante de blocos que desfilam em Ipanema — afirmou.
Moradora há 30 anos de Ipanema, a farmacêutica Sheila Silveira reforça a tese do presidente da associação comunitária de que o bairro sofre prejuízos todo carnaval.
— Vem muita gente para cá. A multidão acaba estragando as plantas mesmo, sem falar na quantidade de lixo que fica para trás após os desfiles — disse ela.
Já a presidente da Associação de Moradores do Leblon, Evelyn Rosenzweig, contou que se surpreendeu com o bom resultado da iniciativa na região em 2012. Ela reclamou, porém, do material usado, por enfear a paisagem.
— No ano passado, não houve depredação, como era esperado. Foi uma excelente ferramenta para proteger os canteiros, mas podia ser mais bonita.
Em Ipanema, a Praça General Osório foi a primeira a contar com as telas de proteção este ano. No último sábado, a Banda de Ipanema fez seu ensaio no local. Porteiro há 19 anos de um prédio em frente à praça, Joselito de Lima destacou a presença de guardas municipais e policiais militares no local durante o evento:
— Não adianta cercar se não há fiscalização e segurança. Todo ano, isso aqui vira uma lagoa de xixi. Mas, se durante o carnaval for feito como foi no sábado passado, aí vai funcionar.
Monumentos também serão cercados
Amanhã, começa a instalação da proteção da vegetação de restinga em Ipanema. A Secretaria municipal de Conservação vai cercar ainda os monumentos que ficam no trajeto dos blocos. O cercamento será feito com grades, para não impedir a visão das obras.
Em 2012, segundo a Riotur, todos os canteiros dos prédios de Leblon e Ipanema foram cercados. Hoje, o secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello, vai apresentar toda a operação para o carnaval 2013. A prefeitura já anunciou que vai instalar 8.500 banheiros químicos, além de 55 contêineres fixos com sanitários. Com isso, haverá um crescimento de 8% em relação ao carnaval do ano passado.

BUEIRO DA VISCONDE

Em frente à loja Amsterdan Sauer existe um bueiro que vaza água constantemente. Até uma árvore teve que ser sacrificada por causa desse vazamento.

UM PASSEIO POR IPANEMA



VINÍCIUS E VISCONDE

IPANEMA ABANDONADA



PRUDENTE DE MORAIS COM HENRIQUE DUMONT

foto de M.L.P.

YOGA


Aulas gratuitas de yoga na Lagoa e Ipanema

Projeto é ministrado pela Fundação Arte de Viver

     
Durante o mês de janeiro, a Lagoa Rodrigo de Freitas serve de cenário e point para as aulas gratuitas de yoga realizadas pela Fundação Arte de Viver. Todos os domingos, das 9h30 às 10h30, acontece a programação. As inscrições podem ser realizadas no próprio local, ou através do site www.artedeviver.org.br.
No dia 20, o projeto também chega à praia de Ipanema. Com uma tenda montada no posto 10, das 11h às 18h, o grupo oferece sessões de massagem, meditação e yoga, tudo sempre gratuito, além de palestras sobre respiração e bem estar.
Há também o Maha, uma versão ampliada do curso Arte de Viver Parte I, entre R$70 e R$390, e acontece entre os dias 25 e 28 de Janeiro. Nele são oferecidas aulas com técnicas de respiração, meditação e relaxamento para diminuir o estresse.

ORLA


Gente Boa pergunta: cadê o skate que estava aqui?

  • Ele ficou menor do que no ano passado e é mais um sinal da tendência retrô no verão de 2013

O GLOBO (

Skate agora é mini. Letícia e João Foto: Marcos Ramos / Agência O Globo
Skate agora é mini. Letícia e João Marcos Ramos / Agência O Globo
RIO - O calçadão da orla e a ciclovia têm novidades este ano. Uma das mais visíveis é a onda dos miniskates, que estão para este verão como os longboards, aqueles skates compridos, estavam para o verão passado.
Mais rápidos e mais coloridos, eles medem cerca de 50 centímetros e são feitos de um plástico ultrarresistente.
- É muito mais prático de levar, cabe até na mochila- defende a estudante Letícia Calheiros.
Vendido por cerca de R$ 350 nas lojas da Galeria River, no Arpoador — por lá só dá ele nas vitrines —, o skate pequeno é fabricado por uma marca australiana e é encontrado em várias cores, que podem ser combinadas com as rodinhas, também coloridas.
- Como não tem nenhuma lixa em cima, dá até para ficar andando descalço sem machucar o pé- completa João Pedro Viana, outro adepto do skate retrô, nos moldes da década de 1970, época em que os californianos de Venice revolucionaram o esporte.
Já a carioca Maria de Almeida se destaca entre os pranchões de remo em pé no mar do Arpoador. Aos 60 anos, ela não quer saber de desafiar as ondas, e sim de remar além da correnteza. E vai para o alto-mar e de lá traça uma reta imaginária paralela à praia.
- É uma ilha de prazer, condicionamento físico para o corpo e para a alma - afirma Maria, que se sente “supersegura” sobre a prancha. - Nunca tive coragem de surfar, mas fazer stand up é tranquilo, só prazer.
De olho no mar onde Maria remava, o argentino Oscar Etchepare, de 51 anos, importou um jeito diferente de curtir a praia no Rio. Sua cadeira não fica na areia, mas sim na beirinha da água.
- É normal para os argentinos ficar perto da água. É bem mais refrescante - diz o empresário, que não é um novato na cidade: completa este ano 30 verões de Rio de Janeiro:
- Ninguém me olha torto. Uma das melhores coisas do Rio é que se você está curtindo, está bom para todo mundo.

EMAIL RECEBIDO


 

Exma. Deputada Aspásia Camargo
 
como é do seu conhecimento nós os moradores do entorno das ruas Teresa Aragão, Gomes Carneiro, Av. Rainha Elizabeth,  Largo Banda de Ipanema,vimos há dois anos solicitando a retirada dos pontos de ônibus que situam-se no local, principalmente na primeira. 
Os nossos esforços de diálogos foram inúteis que obrigou-nos a entrarmos com ação junto ao Ministério Público, setor de meio ambiente. Este processo está tramitando, tendo sido já expedidos vários termos aos órgãos municipais e estaduais de transportes. Todavia, o problema
persiste.
Gostaríamos de alertar que quando o Estado não se faz presente como é o caso, o caos se instala. Agora temos um despejo de lixo na esquina da R. Teresa Aragão com Av. Rainha Elizabeth. Colchões velhos, caixas, cadeiras, armários, e outros. Os burros sem rabo recolhem das residências ipanemenses e jogam-nos exatamente naquele local!!! Tornou-se a esquina do lixão!!!
Acreditamos que não é bem o Rio que tornou-se insustentável mas, sim, o carioca...
Atenciosamente,
JG


TURISMO GAY


Turismo gay aquece a cidade

Cerca de R$ 5 milhões por dia são injetados na economia carioca por visitantes homossexuais

POR CHRISTINA NASCIMENTO
Rio -  No movimentado mercado de turismo, o Rio ganhou mais do que a preferência dos gays: a cidade lucra altas cifras com a ‘moeda rosa’, que injeta na economia local cerca de R$ 5 milhões por dia, em média. A estimativa leva em consideração que, dos 2 milhões de turistas que desembarcam na cidade por ano, cerca de 500 mil são LGBTs — Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros. Cada um desses visitantes desembolsa por aqui, em média, R$ 400 por dia — duas vezes mais do que os demais turistas.

As expectativas são ainda mais otimistas: o segmento cresce 20% ao ano. O Rio está em segundo lugar entre os destinos mais citados para viagem em 2013, numa pesquisa feita com 100 mil entrevistados pela Out Now, empresa de consultoria especializada em mercado LGBT. No ano passado, estava na terceira posição. No topo da lista está Nova York. Em 2012, o turismo LGBT no mundo gastou cerca de US$ 165 bilhões, segundo a Out Now.
Um dos points preferidos pelos gays é a praia de Ipanema, onde convivem sem problemas com heterossexuais | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia
Um dos points preferidos pelos gays é a praia de Ipanema, onde convivem sem problemas com heterossexuais | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia
O secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro, disse que o Rio busca permanecer nas disputas como melhor destino para o segmento. “Apoiamos o turismo gay. Participamos de feiras e eventos para manter o setor em alta.” À frente da Coordenadoria de Diversidade Sexual, o estilista Carlos Tufvesson acredita que um dos motivos da procura do Rio é a intensa programação noturna voltada para este público, além da boa convivência com o carioca, considerado bom anfitrião.

“A programação gay no Rio é maior do que em muitas cidades no mundo. A iniciativa privada sempre se organizou nesse sentido, trazendo, por exemplo, DJs de fora”, afirmou.

Eles ficam mais tempo nos destinos

O mercado turístico LGBT é formado, em geral, por pessoas entre 20 e 55 anos, com renda superior à média. Eles ficam mais tempo nos destinos e fazem de três a quatro viagens por ano.

Para o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, Toni Reis, apesar de o Rio estar à frente de outras cidades no combate à homofobia, ainda existe muito preconceito. “O Rio é lindo, mas ainda recebemos muitas denúncias. Aquele caso do taxista no Aeroporto do Galeão que se incomodou com o casal homossexual que se beijou não é uma exceção”, afirmou ele.

Uma cidade acolhedora

O Rio atrai principalmente por ser uma cidade acolhedora. “Somos de Minas. Em outras cidades, sinto certo preconceito. Aqui, não”, conta o empresário Marcos Reink, 39, de Juiz de Fora, que veio passar o verão no Rio com o namorado, o cabeleireiro, Eduardo Barros, 24. O casal carioca Alexandre Guimarães, 28, gerente comercial, e Mario Freitas, 26, professor, se orgulha por viver no Rio. “O que importa é o encontro das almas, seja de que sexo for”, diz Mario.